‘MAM Na AMAN’ tem edição especial de 75 anos da Academia Militar de Resende

Pelo quarto ano consecutivo, projeto leva exposição de artes plásticas para Foyer Superior do Teatro da Aman

Em alusão aos 75 anos da chegada da Academia Militar em Resende, o projeto “MAM na Aman” tem edição especial este ano. A mostra de obras de artes plásticas, que será aberta nesta segunda-feira, dia 15, é uma parceria entre a Prefeitura de Resende, por meio do Museu de Arte Moderna (MAM) da cidade – ligada à Fundação Casa da Cultura Macedo Miranda (FCCMM), e a Academia Militar das Agulhas Negras (Aman). A abertura do Salão de Artes está marcada para as 19h. Os interessados poderão visitar a mostra do dia 16 deste mês até 19 de maio, de segunda à sexta-feira, entre 9h e 17h, no Foyer Superior do Teatro da Aman. A visitação é aberta ao público.

Pelo quarto ano consecutivo, a família acadêmica e a população de Resende têm a oportunidade de apreciar diversas peças de artistas da região. Na curadoria realizada pelos técnicos do Museu de Arte Moderna, são apresentadas fotografias, aquarelas e pinturas, que ilustram a arquitetura da Academia e paisagens do município. O presidente da Casa da Cultura, Thiago Zaidan, explicou detalhes sobre o evento, acrescentando que parte da história da instituição de ensino superior militar será contada através de imagens.

— As peças de arte retratam a bela arquitetura da Aman, que faz parte do roteiro turístico da cidade, além de imagens de outros ângulos da cidade. A exposição conta com 29 obras de sete artistas da região. A história da Aman, responsável pela formação dos oficiais combatentes de carreira do Exército Brasileiro, teve início em 1810, com a criação da Academia Real Militar pelo Príncipe Regente Dom João. A Academia foi instalada na Casa do Trem, no Rio de Janeiro, onde passou a funcionar o Museu Histórico Nacional. Ao longo dos seus mais de duzentos anos de existência, a Academia ocupou seis sedes. A partir de 1812, ela passou pelo Largo de São Francisco, pela Praia Vermelha, por Porto Alegre e Realengo, até que, em 1944, foi fundada a sede em Resende. Em 23 de abril de 1951, recebeu sua atual denominação: Academia Militar das Agulhas Negras. A Aman teve como seu grande idealizador o Marechal José Pessoa Cavalcanti de Albuquerque – frisou.

Thiago Zaidan ainda destacou a importância da Aman para a evolução do município. “A Aman possui referência de excelência no ensino. Com o fim do ciclo do café, podemos considerar que o desenvolvimento da cidade foi impulsionado com a chegada da Academia Militar. Muitos militares contribuíram com a educação de Resende, pois foram professoras nas escolas. A economia regional também foi alavancada com a vinda da grande quantidade de militares e suas famílias”, lembrou, reforçando que toda a população está convidada para visitar as obras a partir do dia 16, com entrada gratuita.

As obras expostas são dos seguintes talentos da região: Alexandre Neves, Gelson Mallorca, João Saboia, Jorge Vieira, Otacílio Rodrigues, Shirley Ramirez e Christian Meyn.

A Aman segue com programação interna, em comemoração aos 75 anos da sede fundada em Resende. Entre os dias 17 de abril e 1º de maio, estão inclusas as seguintes atividades nas dependências da instituição: palestra temática; lançamento do Selo Comemorativo dos 75 anos; formatura geral; Concerto da Orquestra Bachiana Filarmônica – SESI/SP; e encenação da Rendição da 148ª Divisão Alemã na II Guerra Mundial.